Na tarde desta segunda-feira (15), equipes da Promoção da Saúde e da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Arapiraca visitaram a Unidade de Emergência do Agreste, onde participaram da abertura da Semana para Prevenção de Acidentes no Trânsito.

Tendo como público-alvo os familiares e acompanhantes de pacientes vítimas desse tipo de acidente, os técnicos chamaram a atenção para o alto índice de mortes e feridos no trânsito, tanto na cidade de Arapiraca como nos municípios vizinhos, cujas vítimas acabam convergindo para aquela unidade hospitalar.

Na sala de espera, agentes da SMTT entregaram material educativo e deram orientações sobre segurança no trânsito e os direitos garantidos pelas vítimas e familiares, a exemplo do Seguro DPVAT, que garante indenização por invalidez permanente, reembolso de despesas médico-hospitalares e indenização por morte.

As irmãs Edilma e Eliane Fernandes acompanharam atentamente todas as orientações. O pai delas, um senhor de 79 anos, está no hospital aguardando uma vaga na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) após se envolver num grave acidente motociclístico. Ele quebrou algumas costelas e sofreu perfuração no fígado, pulmão e baço.

Já os técnicos da Promoção da Saúde em parceria com o Detran/AL e Sest Senat ministraram uma palestra com os familiares e acompanhantes dos pacientes, onde foram abordados os impactos causados pela violência no trânsito.

“Os acidentes não causam impacto apenas nas vítimas, mas em toda a família. Quando o chefe da família ou o responsável pela renda da casa fica inválido ou morre o impacto é refletido para os demais membros”, alertou Fátima Ramalho, superintendente da Promoção da Saúde.

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SESAU), do início do ano até a primeira quinzena de maio o hospital atendeu 4.358 vítimas de acidentes no trânsito, sendo que 80% desses acidentes tiveram o envolvimento de motocicletas.

Os dados mostram ainda que jovens do sexo masculino, com idade produtiva entre 20 e 30 anos, lideram os casos de acidentes, sendo a maior parte por imprudência, desrespeito às leis do trânsito, falta do capacete e consumo de bebidas alcoólicas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *